>> TROVAS

TROVAS - DEGUSTAÇÃO

5 trovas de Débora Novaes de Castro: 3 de DAS ÁGUAS DO MEU TELHADO (1999), São Paulo; 2 de UM VASO NOVO (2006), VipWork Editora, São Paulo.

TROVAS
 

De repente vêm as trovas
num galope cadenciado
e vão surgindo outras novas
das águas do meu telhado!

Débora Novaes de Castro
(in Das Águas do Meu Telhado, 1999, p.9)


***

Juntando juncos, retalhos
no bom arranjo da tralha,
foram surgindo espantalhos
dos louros sonhos da palha!

Débora Novaes de Castro
(in Das Águas do Meu Telhado, 1999, p.11)


***

A gente quando se casa,
o "pra sempre" não é mais;
hoje, se casa e descasa,
antigamente, jamais.

Débora Novaes de Castro
(in Das Águas do Meu Telhado, 1999, p.22)


***

Com o nome de Jesus,
alguém há que batizado;
mas Cristo, o da rude cruz,
só Jesus crucificado.

Débora Novaes de Castro
(in Um Vaso Novo..., 2006, p.76)


***

Se viver te custa tanto
como um fardo a carregar,
só Jesus te seca o pranto
e te ampara ao caminhar.

Débora Novaes de Castro
(in Um Vaso Novo..., 2006,  p.76)

ENVIE PARA UM AMIGO          COMENTAR
Comentários (1 Comentário)

Dináura de Castro Assunção

01/09/2014 - 21:47

Todas lindas! A de "Jesus crucificado é demais!!!
Responder
 

Debora Novaes de Castro © 2017 | Leia as regras de Direitos Autorais
SSL