>> FORTUNA CRÍTICA

    "Foi com profunda alegria e íntima satisfação, que eu e Julieta prelibamos o perfumado e saboroso estro do seu admirável CATAVENTO Poemas,1994 ...
    Sim, antes mesmo de mergulharmos nos sonoros e significativos versos dos inumeráveis títulos que enriquecem o livro, já sentíamos, com intensidade, o rico filão em que nos iríamos adentrar...
    A melodia das palavras e o inesperado torneio de raciocínios, muitas vezes nos relembram as emoções sentidas em constantes leituras de Antonio Nobre e de Fernando Pessoa... Antes de tudo, porem, com o toque seu, personalíssimo, Débora! Personalidade poética incomparável, a sua!... Deus a proteja e inspire, sempre, nessa lida abençoada e fertilmente criativa.
    Não é fácil dar relevo a este ou aquele título, tal a naturalidaade, o garbo e a belezaq com que desfilam na fascinante passarela do CATAVENTO! mas a vôo de pássaro, podemos mensionar "TEMPO DE PRIMAVERA", "MIRAGEM", XANGR-LÁ", "POETASIA", "BREJEIRICE", "A BARCA", "O TRATO", "VIAGEM", "TORRE DE BABEL", VIRADA DO SÉCULO", "O HOM
EM DO FUTURO", "TOPO DA MONTANHA", "MONÓLOGO", etc. etc. ...
    Continui, dileta Débora, nessa faina de esparzir Beleza e Fé!...
    O último título do livro contém um sensível panegírico que o prezado Amigo Albino soube conquistar! Parabéns ao sempre jovem casal."

                                                                                                                                                                                 Jayme dos Santos
                                                                                                                                                            São Paulo, 8 de abril de 1995.
 

Debora Novaes de Castro © 2018 | Leia as regras de Direitos Autorais
SSL